Doenças

APENDICITE » O que é, Sintomas, Causas e Tratamentos!

APENDICITE
Escrito por Siga Saúde

Apendicite é a doença de inflamação no apêndice, um órgão considerado até 2007 vestigial, ou seja, que demonstra a evolução dos seres humanos. Depois foi descoberto que ele tem a capacidade de fabricar e receber bactérias que ajudam na digestão. O órgão não é muito importante, tanto que o tratamento da Apendicite é feito com a sua remoção.

É complicado fazer o diagnóstico de Apendicite, pois nem todos os pacientes apresentam os Apendicite sintomas. Normalmente crianças e idosos são os que menos apresentam os presságios da doença. Se não tratada rapidamente a Apendicite pode até levar a morte. Aproximadamente 20% das pessoas que imaginam ter a doença não possuem.

O tratamento da Apendicite acontece por meio de Apendicite cirurgia médica para a retirada do órgão. Normalmente são realizados três pequenos cortes, com o auxílio de um monitor. A pessoa fica com poucas cicatrizes e o pós-operatório é tranquilo. O tempo de internação varia entre 24 horas e 72 horas, dependendo da recuperação do paciente.

O que é Apendicite?

Apendicite ou Apendicite Aguda é uma inflamação no apêndice cecal, proporcionada pelo acumulo de bactérias, gerando inflamações na região. O apêndice é uma parte do corpo que mede aproximadamente 6 cm, localizado na parte inicial do intestino grosso, conhecida como ceco, se obstruído, ocasiona na Apendicite Aguda.

Aproximadamente 40% das pessoas com Apendicite não sentem os sintomas. Caso o apêndice seja rompido, causará inflamação e graves dores no revestimento interior do abdômen. Quando o apêndice é bloqueado, deixa de receber sangue, aumentando a pressão na região. O tratamento convencional indica a remoção do órgão.

Quais os sintomas?

O diagnóstico da Apendicite se torna difícil devido à falta de sintomas, ou ao aparecimento de apenas alguns deles. Os mais comuns são náuseas, dores abdominais e febre baixa. Tempo depois, a mesma dor vai para a região do abdômen direito. Entre os Apendicite sintomas fotos menos comuns estão diarreia e dor ou ardência ao urinar.

Existem outras doenças que apresentam sintomas parecidos com a Apendicite. Entre elas, podem ser destacadas doenças ginecológicas, infecção urinária e infecção intestinal. Dessa forma, consultar um médico e realizar exames poderá ajudar você a resolver outro problema de saúde. O importante é estar atento e agir aos primeiros sinais.

Qual a causa da Apendicite?

Entre as Apendicite causas mais comuns para o surgimento da Apendicite está a entrada de fezes no apêndice. Outra situação comum é um traumatismo direto no órgão, gerando ruptura ou interrompendo a circulação de sangue no local. O apêndice também pode ser bloqueado por gordura, complicando o quadro clínico. Menos comum, a infecção por vírus gastrointestinal também leva a Apendicite.

O apêndice conta com uma bactéria natural, que em ambos os casos passa a se multiplicar rapidamente, inflamando e inchando o órgão. Nem sempre o apêndice já está rompido, situação que pode ser causada pela obstrução. A doença pode tingir pessoas de qualquer idade, mas é mais comum em jovens de 10 anos a 30 anos.

Existe tratamento para Apendicite?

Existe apenas uma forma de tratar Apendicite: cirurgia. O procedimento irá retirar o apêndice, com algumas incisões. A operação pode ser feita de duas formas, seja pelo método tradicional ou pela vídeo-laparoscopia. Por tanto, a tecnologia proporciona que seja retirado o órgão sem um grande corte na região abdominal.

Como o apêndice não é um órgão pequeno, medindo aproximadamente 6 cm, a intervenção cirúrgica é facilitada. O método é tido como pouco invasivo e utiliza uma câmera para guiar os passos a serem seguidos. O Apendicite pós-operatório é tranquilo, com repouso durante algum tempo. A pessoa recebe alta hospitalar num período entre 24 horas e 72 horas após a cirurgia.

Quais os medicamentos?

Os medicamentos ajudam no tratamento da Apendicite, sendo que alguns deles devem ser consumidos antes do processo operatório, evitando a peritonite. Durante a cirurgia, o paciente receberá uma anestesia geral. Existem medicamentos recomendados por especialistas para auxiliar no tratamento, é importante ficar atento a bula, para não consumir algo que lhe faça mal.

Em alguns casos os medicamentos podem inclusive substituir a cirurgia, segundo pesquisa, entre 10% e 15% das pessoas que se tratam com remédios voltam a ter o problema no período de um ano. O estudo foi feito na Academia Sahlgrenska, da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, liderado pelo professor Jeanette Hansson.

Como prevenir a Apendicite?

A principal forma de prevenir a Apendicite é cuidando da alimentação. Consumir alimentos com pouca fibra pode contribuir para o aparecimento da doença, assim como o excesso de comida gordurosa também não faz bem. Ter uma dieta leve, focada principalmente em alimentos naturais, colabora com as funções do intestino, facilitando a digestão.

Não basta consumir os alimentos certos, a digestão também é fundamental. O organismo gasta mais energia para digerir comidas pesadas ou gordurosas, o que a longo prazo pode atingir o apêndice. É importante comer com calma e sem pressa, evitar dormir após a alimentação, e fazer refeições a cada 3 horas. O Zinco pode ser uma boa opção para ajudar na digestão.

Recuperação pós-cirúrgica

É recomendado ficar cinco dias sem realizar atividades físicas caso a cirurgia tenha sido por laparoscopia, se for por abdominal aberta, o período sem treinos deve ser de duas semanas. Dores podem ser comuns, então é recomendado colocar um travesseiro no abdômen, caso for rir, tossir ou fazer outro movimento brusco.

As atividades físicas devem começar aos poucos e apenas quando você se sentir bem para isso. No processo de recuperação, sentir mais sono e cansaço do que o habitual é normal, então descanse quando precisar. Antes de retornar ao trabalho ou para a escola, o médico deve ser consultado e passar as recomendações.

Apendicite na gravidez

Ter essa doença durante a gravidez é bastante perigoso, pois se o apêndice estourar, as bactérias podem afetar a mãe e o bebê. A cirurgia passa a ser a única opção, e pode ser realizada sem problemas para os dois.

A gravida deve ficar atenta para dores fortes no lado direito do abdômen e procurar um médico imediatamente. Agora que você sabe tudo sobre Apendicite passe as informações para os seus conhecidos e mantenha todos prevenidos. Se ainda ficou com alguma dúvida, pergunte nos comentários.

LINKS DE REFERÊNCIA

  1. Minha Vida | Paulo José Moreno
  2. Portal Drauzio Varella | Maria Helena Varella Bruna
  3. Saúde Abril | Goretti Tenorio e Chloé Pinheiro
  4. Manual MSD | Parswa Ansari
  5. Ativo Saúde | Lucas Coelho

Sobre o autor

Siga Saúde

Deixe seu comentário